sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Um ninho de proteínas

Fonte: jorgepinho2000.blogspot.com

Por muito tempo, se pensou que todas as proteínas presentes nas células tinham uma estrutura organizada, e que essa organização era essencial para as suas funções. Mas isso não é uma verdade absoluta; cerca de 40 % das proteínas que suas células produzem têm alguma parte da sua estrutura pouco ou nada organizada. Mais recentemente, pesquisadores têm observado e registrado a ocorrência de aglomerados de proteínas (imagine uma coisa tipo essas cobras aí em cima) com pouca estrutura dentro das células. Esses aglomerados se formam em determinados momentos e depois podem se desfazer, e as suas funções no organismo ainda são basicamente desconhecidas.

O fato é que esses bolos de proteínas parecem estar envolvidos na passagem de proteínas de um lugar para o outro na célula e também podem ser importantes em algumas doenças, como umas que atacam o cérebro e em alguns tipos de câncer. Assim, diferentes grupos de pesquisa e a indústria farmacêutica estão estudando novas moléculas que seriam capazes de interferir na formação ou na dissolução desses aglomerados de proteínas.

Quando estiverem disponíveis, esses compostos vão poder ser usados para entendermos melhor para que esses bolos de proteínas existem e talvez possam se tornar novos remédios no futuro.

Referência
TORETSKY, J. A; WRIGHT, P. E. Assemblages: functional units formed by cellular phase separation. The Journal of Cell Biology, v. 206, n. 5, p. 579–88, 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário