sexta-feira, 24 de julho de 2015

Dr. José Roberto Kater e o ovo: vilões ou mocinhos?


Ontem, eu recebi pelo Facebook um vídeo de uma entrevista com o Dr. José Roberto Kater onde ele comenta sobre os benefícios do ovo na alimentação. Porém, algumas coisas me soaram um pouco, digamos, curiosas (na verdade, em pouco mais de três minutos de vídeo poucas coisas pareceram normais (o vídeo completo está disponível no fim do texto)). O Dr. Kater é, segundo a Internet, médico, obstetra, nutrólogo, antroposófico (a medicina antroposófica é um ramo alternativo com base em noções ocultas e espirituais), homeopata, acupunturista e com mais algumas outras especialidades. Porém, não é cientista, já que não tem currículo cadastrado na Plataforma Lattes (do Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento, CNPq) ou assina qualquer artigo científico indexado em banco de dados internacional. Para mim, o cara pode dizer que é o Papa, eu não vou acreditar nele de primeira. As informações científicas estão disponíveis e eu fui pesquisar para entender se o Dr. Kater é um visionário ou charlatão nas suas afirmações.

Primeiro, o Dr. Kater afirma o colesterol presente no ovo não é um problema, porque esse colesterol não é absorvido pelo intestino. Não existe nada na literatura científica que prove essa afirmação. O fato é que, além de colesterol, o ovo também é muito rico em outro tipo de gordura, chamada fosfolipídeo. Experimentos feitos em diferentes modelos mostraram que uma grande quantidade de fosfolípideos na alimentação pode sim reduzir a absorção de colesterol pelo intestino (BLESSO, 2015). Dessa forma, é possível que parte do colesterol do ovo não seja absorvida, algo em torno de 20 % de acordo com os experimentos. Mas, ainda assim, você ainda absorveria 80 % do colesterol do ovo, o que é bastante coisa. Além disso, o consumo excessivo de fosfolipídeos pode, por si só, ser prejudicial à saúde; uma dessas gorduras, chamada de fosfatidilcolina, pode ser transformada pelas bactérias da microbiota intestinal em um composto associado a um aumento no risco das doenças do coração (BLESSO, 2015). De modo geral, a literatura científica ainda não está de acordo sobre o real risco do consumo de ovos para a saúde; alguns estudos com humanos não mostraram riscos aparentes enquanto outros indicaram que isso pode aumentar o risco de doenças cardíacas (MIRANDA et al., 2015).

Depois, o Dr. Kater diz que, além do colesterol não ser absorvido, o consumo de ovo também ajudaria a reduzir a produção de colesterol do corpo (sim, o seu fígado faz colesterol, e muito), afirmação também bem curiosa. A produção de colesterol pelo fígado, e como isso é regulado, são bem compreendidos pela ciência. O quanto sua célula produz de colesterol depende, basicamente, que quanto colesterol ela tem dentro dela, mas não, até onde eu sabia, do quanto de colesterol você tem ainda no intestino e não passou para o sangue. Eu encontrei apenas um artigo na literatura que abordou essa questão. Os pesquisadores alimentaram ratos com dietas ricas em colesterol, contendo ou não ovo em pó, e mediram a atividade do principal gene responsável pela produção de colesterol no fígado. Notem que essa não é uma medida direta da produção de colesterol, mas, a princípio, podemos especular que quanto maior a atividade do gene, maior a produção de colesterol. Porém, não foram observadas diferenças entre os grupos de ratos. Assim, em conclusão, o consumo do ovo não reduz a produção de colesterol feita pelas células do fígado quando comparado com o consumo de colesterol puro (YANG et al., 2012).

Dr. Kater também diz que o colesterol não causa o entupimento das artérias e nisso eu sou obrigado a discordar veementemente. Obviamente, os altos níveis de colesterol no sangue não são os únicos responsáveis pelo entupimento das artérias; obesidade, diabetes, pressão alta e a inflamação dos vasos sanguíneos também têm a sua importância (VAN ROOY; PRETORIUS, 2014). Porém, é claro na literatura médica e científica que as altas taxas de colesterol estão relacionadas com a incidência de doenças vasculares. Existem inúmeros estudos genéticos, clínicos e epidemiológicos mostrando isso (STEINBERG, 2005). Além disso, é claro que o tratamento com remédios para a redução do colesterol diminui o risco de doenças do coração (STEINBERG, 2006). Esse tipo de informação é um desserviço para a sociedade! Se você, assim como eu, tem colesterol alto, faça dieta, exercício físico e tome os remédios se indicados pelo seu médico! Nossas chances de morrer num infarto ou derrame serão menores!

Dr. Kater também diz que o colesterol é anti-inflamatório, mas não há qualquer evidência científica disso. Existem alguns estudos que indicam que os fitoesteróis, o “colesterol” das plantas, podem ter efeitos anti-inflamatórios, mas isso ainda não é claro (OTHMAN; MOGHADASIAN, 2011). Em humanos, estudos clínicos e epidemiológicos indicaram que a HDL (que não é a molécula de colesterol (o “colesterol bom”), mas sim uma proteína do sangue) tem uma atividade para combater inflamações (CHRYSOHOOU et al., 2007; PATEL et al., 2009). Mas daí para falar que o colesterol é anti-inflamatório vai um grande passo!

Depois, esquecendo um pouco os ovos, Dr. Kater ataca os óleos vegetais, com a argumentação de que as gorduras poli-insaturadas presentes no óleo de soja, girassol ou canola são prejudiciais à saúde, indo na direção contrária de boa parte da literatura científica. Falar que as gorduras poli-insaturadas são boas para a saúde pode não dizer nada para você, mas se eu disser que o ômega-3 da Araci é uma gordura poli-insaturada vai fazer mais sentido. Estudos epidemiológicos mostraram que o consumo de gorduras poli-insaturadas está relacionado com redução nos riscos de doenças do coração, além de ajudar a reduzir o colesterol (KRIS-ETHERTON; HECKER; BINKOSKI, 2004). É claro que óleo é gordura pura, então não ache que beber óleo de cozinha vai fazer você ficar magro e saudável (pelo contrário!). Mas isso não justifica substituir o óleo de soja por banha de porco, que contém uma grande quantidade de gordura saturada, que reconhecidamente prejudica a saúde do coração e das artérias e deve ser evitada se possível (FLOCK; FLEMING; KRIS-ETHERTON, 2014).

Por fim, Dr. Kater julga o óleo canola como um veneno. Mas recentes evidências experimentais mostraram que esse óleo vegetal tem diversos efeitos benéficos, combatendo o diabetes, aumentando os níveis de antioxidantes, reduzindo as taxas de colesterol e o crescimento de tumores (LIN et al., 2013).

Minha conclusão sobre o Dr. Kater e o ovo: arremessaria o segundo no primeiro se tivesse a oportunidade. Qualquer um pode dizer qualquer coisa na internet com tom de autoridade, e a coisa se espalha. E bem difícil reverter o dano depois.

Referências

BLESSO, C. N. Egg phospholipids and cardiovascular health. Nutrients, v. 7, n. 4, p. 2731–2747, 2015.

CHRYSOHOOU, C. et al. The emerging anti-inflammatory role of HDL-cholesterol, illustrated in cardiovascular disease free population; the ATTICA study. International Journal of Cardiology, v. 122, n. 1, p. 29–33, 2007.

FLOCK, M. R.; FLEMING, J. A.; KRIS-ETHERTON, P. M. Macronutrient replacement options for saturated fat: effects on cardiovascular health. Current Opinion in Lipidology, v. 25, n. 1, p. 67–74, 2014.

KRIS-ETHERTON, P. M.; HECKER, K. D.; BINKOSKI, A. E. Polyunsaturated fatty acids and cardiovascular health. Nutrition Reviews, v. 62, n. 11, p. 414–426, 2004.

LIN, L. et al. Evidence of health benefits of canola oil. Nutrition Reviews, v. 71, n. 6, p. 370–385, 2013.

MIRANDA, J. M. et al. Egg and egg-derived foods: effects on human health and use as functional foods. Nutrients, v. 7, n. 1, p. 706–729, 2015.

OTHMAN, R. A.; MOGHADASIAN, M. H. Beyond cholesterol-lowering effects of plant sterols: clinical and experimental evidence of anti-inflammatory properties. Nutrition Reviews, v. 69, n. 7, p. 371–382, 2011.

PATEL, S. et al. Reconstituted high-density lipoprotein increases plasma high-density lipoprotein anti-inflammatory properties and cholesterol efflux capacity in patients with type 2 diabetes. Journal of the American College of Cardiology, v. 53, n. 11, p. 962–971, 2009.

STEINBERG, D. Thematic review series: the pathogenesis of atherosclerosis. An interpretive history of the cholesterol controversy: part II: the early evidence linking hypercholesterolemia to coronary disease in humans. Journal of Lipid Research, v. 46, n. 2, p. 179–190, 2005.

STEINBERG, D. Thematic review series: the pathogenesis of atherosclerosis. An interpretive history of the cholesterol controversy, part V: the discovery of the statins and the end of the controversy. Journal of Lipid Research, v. 47, n. 7, p. 1339–1351, 2006.

VAN ROOY, M. J.; PRETORIUS, E. Obesity, hypertension and hypercholesterolemia as risk factors for atherosclerosis leading to ischemic events. Current Medicinal Chemistry, v. 21, n. 19, p. 2121–2129, 2014.

YANG, F. et al. An egg-enriched diet attenuates plasma lipids and mediates cholesterol metabolism of high-cholesterol fed rats. Lipids, v. 47, n. 3, p. 369–277, 2012.

76 comentários:

  1. David, muito obrigado pela ótima pesquisa! Mesmo sem entender muito de medicina fiquei chocado ao ouvir as asneiras que o tal "médico" proferiu. É uma temeridade o quanto as pessoas se deixam levar por idiotices nas redes sociais hoje em dia... É que é bem mais fácil assistir um videozinho de 3 minutos do que ler um artigo bem embasado como o seu, né? Só tenho dó dos milhares de idiotas que vão se empanturrar de gordura de porco acreditando naquele patife...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. David não sabe nada só asneiras, pesquisem mais pessoal(Ronaldo Ribeiro), não só Lair Ribeiro, mas também Dr. Victor Sorrentino, Dr. Naif Thadeu, e outros tantos NUTROLOGOS muito bem informados

      Excluir
    2. Concordo plenamente com vc! As pessoas acham que o erro é estar na contramão de médicos totalmente desatualizados, saem da faculdade e não pesquisam nada, absurdo!

      Excluir
    3. meu colesterol era bem alto. por conta disso não comia ovo. hoje como 3, 4 ovos de manhã e meu colesterol é normal. Não uso nem óleo nem manteiga para fritar o ovo, frito direto na frigideira.Me parece que a gordura saturada vem do óleo ou manteiga.

      Excluir
    4. A gordura saturada está presente nas gorduras de origem animal, manteiga no caso. Os óleos vegetais são ricos em gorduras insaturadas.

      Excluir
    5. Coco tem gordura de origem vegetal mas só todas saturadas.

      Excluir
    6. De fato, você tem razão; a óleo de coco é composto de gordura saturada na sua maioria, mas ele é uma exceção. A maior parte de óleos vegetais são compostos de gorduras insaturadas. Obrigado pelo toque! ;)

      Excluir
  2. Dr. Kater é um médico nutrólogo que sabe muito bem o que está falando. Quem não confina nele, pode procurar outras fontes, como por exemplo o Dr. Lair Ribeiro, que fala a mesma coisa, e é médico professor, autoridade internacional.
    O ovo não causa colesterol. A fritura é que causa colesterol.
    Fiquei espantada em ler este texto criticando o Dr. Kater, já que hoje há tanta fonte de informação a respeito.
    É de interesse do "sistema" manter a população presa a medicamentos, se possível pelo resto da vida. Não é lucrativo que as pessoas se curem através de alimentação saudável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Marlise, como disse no texto eu não confio em ninguém (seja o Dr. Kater, Dr. Lair ou a Dra. Patrícia, minha cardiologista); confio na Ciência! E por Ciência, digo pesquisa científicas publicadas em revistas internacionais criteriosas, onde os resultados sejam avaliados e criticados por outros cientistas. Por isso, escrevi essa postagem com base em mais de 10 artigos científicos. Se o Dr. Kater tem absoluta confiança no que diz, devia escrever um trabalho e publicá-lo para que outros médicos e cientistas leiam e avaliem (coisa que ele nunca fez...). Efetivamente, o ovo não causa colesterol; ele é rico em colesterol. Mas o seu consumo não é necessariamente ruim e causa um aumento dos níveis de colesterol. Como eu escrevi, ainda não existe um consenso científico sobre essa questão. E a fritura, se for feita em óleo vegetal, não é rica em colesterol, porque plantas não tem colesterol (mas o consumo excessivo de gordura, animal ou vegetal, não é saudável). Por último, não acredito nessa teoria da conspiração, onde os governos e a indústria farmacêutica querem nos deixar mais doentes para lucrar mais. Por exemplo, segundo Rtveladze e colaboradores 2013, os gastos do SUS com a obesidade vão chegar a 330 bilhões de dólares em 40 anos (2010-2050). Mas a redução do peso da população em 5 % levará a uma economia de quase 60 bilhões de dólares. Em tempos de ajuste fiscal, você não acha que o governo está interessado em uma população mais saudável?

      Rtveladze e cols. 2013, Health and economic burden of obesity in Brazil. PLoS One. 11;8(7):e68785.

      Excluir
    2. Eu acho que o governo não tem interesse em uma população saudável. Tem interesse em manter o povo alienado e escravo, assim é mais fácil manipular dando esmolas. E os laboratórios não vão dar chance ao que não for lucrativo.
      Quanto ao Dr. Kater, ele só repete o que o Dr. Lair ensina nas universidades. Acho que ele não seria professor em universidades tão conceituadas se não soubesse do que fala.
      Mas sobre as comprovações científicas, não tenho opinião, só sei que o Dr. sempre cita o Google acadêmico, rico de artigos científicos, para quem quiser saber mais a respeito.
      Além da Nutrologia, temos o conhecimento milenar da medicina indiana por exemplo, (a Ayurveda) que dispensa comprovações científicas, funciona há pelo menos 5 mil anos sem modismos.
      Mas concordo em não confiar 100% em ninguém, temos de tirar nossas próprias conclusões e alem disso somos seres únicos, o que funciona muito bem para alguém pode não servir para mim. E acima de tudo entra a questão psicológica da pessoa, que também é única.

      Excluir
    3. Bem, o Dr. Ribeiro tem um currículo impressionante (pelo menos até o fim da década de 80), mas não tem nenhum trabalho publicado sobre o tema e consta atualmente como professor em nenhum universidade. E trabalhou para algumas indústrias farmacêuticas. De fato, ser professor em universidade conceituada não diz muita coisa. (Eu sou professor na Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestre e doutor em Bioquímica e, só por isso, sou conhecedor de toda a verdade?). Sobre a medicina tradicional e/ou alternativa, ela deve sim ser estudada e comprovada cientificamente; não a toa, existem mais de 4 mil trabalhos científicos sobre a Ayurveda publicados em revistas internacionais (se dizem se funciona ou não, não olhei).
      E concordo com você, o pensamento crítico é única coisa que nos protege do mar de informações tortas da Internet.

      Excluir
    4. Sr David, o sr me parece muito contraditório, todo mundo sabe que pesquisa é manipulável, que as pesquisas tendem para o lado de quem financia, o sr. está utilizando como referência para julgamento justamento métodos relativos, pesquisas são manipuladas aos montes, eu vejo que vale muito mais os relatos das pessoas dos que as pesquisas e toda vez que se fala em saúde fica claro como há uma discrepância entre os relatos pessoais e as pesquisas de laboratórios. Muitas pessoas tem relatado curas e melhora na qualidade de vida com o uso do cloreto de magnésio, por exemplo, que é muito falado pelo Dr. Lair e outros como eficaz na cura de várias doenças mas como a indústria não vai conseguir lucro com ele ela gasta dinheiro para produzir pesquisas ou não que digam que não há relação direta no uso do cloreto de magnésio com a cura de doenças. Agora, quando vem um RESPEITADO profissional da saúde, com um currículo invejável pelos outros e diz algo que não te agrada você descarta? Você se gaba de não ir na conversa de ninguém mas é exatamente isso que você faz, você vai na opinião de pesquisas científicas que são altamente manipuláveis. É como aquele cara que diz: "Não existem absolutos, tudo é relativo", com essa afirmação ele já quebra a lógica porque se tudo é relativo então já temos um absoluto, correto? Seu artigo foi muito tendencioso, tente ser mais discreto da próxima vez no seu intento.

      Excluir
    5. Caro Sr. Anônimo, com certeza temos que tomar cuidado com possíveis manipulações em artigos científicos financiados por industrias ou organizações. Por exemplo, não dá para confiar cegamente em um artigo que fala que café é bom, quando ele é financiado pela Associação de Produtores de Café. Mas quando artigos de diferentes grupos de pesquisa indicam a mesma coisa, independente da fonte de financiamento, eles devem representar a verdade (ou um grande complô científico contra a população, o que, com a minha experiência como cientista, me parece bem pouco provável).

      Quando comparamos relatos pessoais com pesquisa laboratoriais temos que levar em consideração o problema da amostragem. Cientificamente, quando se testa algum medicamento ou procedimento, milhares de pessoas são testadas (e outras milhares são usadas como controle). O resultado apresentado é, em grossa aproximação, a média de todas essas pessoas testadas. O medicamento pode funcionar na grande maioria das pessoas, mas não em todas (ou vice-versa). Quando analisamos relatos pessoais, temos vários problemas: (1) são poucas pessoas; (2) não tem um grupo controle; e (3) somente quanto o tratamento funciona as pessoas costumam relatar, e quando não funciona elas ficam quietas. Então, em relatos pessoais temos uma amostra viciada e uma falsa impressão de que funciona melhor do que nas pesquisas controladas e que refletem melhor a verdade. (A propósito, existem grupos de pesquisas sérios estudando os efeitos da suplementação com cloreto de magnésio (Mooren e cols., 2011; Rodríguez-Moran e Guerrero-Romero, 2014).)

      Eu não vou discutir se o Dr. Kater ou o Dr. Ribeiro são respeitados ou não (embora o fato de nenhum dos dois ter o nome associado a uma sociedade médica importante e o Dr. Ribeiro escrever livros de auto-ajuda e dar palestras motivacionais não ajudar muito). O que me agrada ou não também não é relevante. O que é relevante é o fato das hipóteses do Dr. Kater não terem nenhum (ou pouco) suporte cientificamente comprovado.

      Por fim, deixo uma reflexão: escrevi uma postagem com mais de 10 referências científicas e o Dr. Kater falou sem nenhuma. Eu fui muito tendencioso?

      Mooren FC, Krüger K, Völker K, Golf SW, Wadepuhl M, Kraus A. Oral magnesium supplementation reduces insulin resistance in non-diabetic subjects - a double-blind, placebo-controlled, randomized trial. Diabetes Obes Metab. 2011 Mar;13(3):281-4.

      Rodríguez-Moran M, Guerrero-Romero F. Oral magnesium supplementation improves the metabolic profile of metabolically obese, normal-weight individuals: a randomized double-blind placebo-controlled trial. Arch Med Res. 2014 Jul;45(5):388-93.

      Excluir
    6. OLÁ MARLISE
      CONCORDO COM VOCÊ.TEM MUITA GENTE QUE NA MATRIX QUE NÃO QUER SAIR . EU TENHO 62 ANOS A 3MESES UMA DIETA PRÓXIMA DA CETOGÊNICA,FIZ UMA BATERIA DE EXAMES O MEU COLESTEROL BAIXOU,PORQUE SERÁ? NÃO TOMO NENHUM REMÉDIO ATÉ O DE PRESSÃO . MINHA PRESSÃO EM MÉDIA É 12X8.
      O QUE EU DIGO PARA OS QUE CRITICAM SEM TER CONHECIMENTO É QUE VÁ ESTUDAR E VER AS PUBLICAÇÕES CIENTIFICAS SERIAS ATRAVÉS DO GOOGLE ACADÊMICO.MARLISE NÃO PERCA O SEU TEMPO COM GENTE QUE NÃO MERECE .PARA BENS!

      Excluir
  3. Excelente David! Oq falta nesse mundo é o interesse em buscar a verdade! Qdo ouvi a tal entrevista pensei... Quem é esse mané falando tamanha besteira???? E como vc fui atrás do tal Dr e seus "conhecimentos".
    Sou bióloga, Mestre e Dra em Educação pela Universidade Autónoma de Barcelona... Digo isso pq oq me preocupa é q somente pessoas com o nosso perfil acadêmico vai atrás da verdade, se preocupa em pesquisar para conhecer a veracidade de tais afirmações?!?
    Gostaria mto de estar enganada e q as pessoas não acadêmicas, tivessem mais interesse em pesquisar e não simplesmente aceitar e acreditar no q uma pessoa diz só pq ela se diz médica ou advogada... Acredito q esse é o nosso (profissionais da Educação) maior desafio, gerar nos alunos um pensamento crítico de tudo q se lê, vê ou escuta.

    ResponderExcluir
  4. Não querendo ser chata, mas talvez já estou sendo...
    Pois é, o novelo de lã é bem grande para desenrolar. O jogo de interesses no ramo acadêmico é gigantesco, nem sei por que eu entrei na conversa, é caso perdido mesmo. Ah sim, entrei para "defender" o Dr. Kater. Mas ele não precisa, nem ele nem o número crescente de profissionais que falam a mesma língua. Os resultados falam por sim. Também gosto de saber a respeito antes de julgar. Não discordaria de alguém pelo simples fato de ter ou não um artigo científico, dele mesmo, publicado a respeito de um tal assunto. Investigaria mais. Inclusive os artigos já existentes de outros autores sobre o tema. E sim, quem é mestre ou doutor, também pode se enganar. Inclusive quem escreveu os tais artigos.
    O que era verdade inquestionável na medicina há anos atrás, hoje pode ser uma besteira. A "besteira" de hoje pode ser a revolução de amanhã.
    Mas não vou mais me meter no assunto estou saindo fora. Nem mesmo sei de qual vídeo vocês falam. Os que eu assisti dele, gostei de todos, com muito fundamento e bem argumentados. E nada muito diferente do que já venho estudando.
    Desculpem-me a intromissão. Mas é que respeito muito o Dr. Kater, Lair, e o grupo todo, que prefiro nem citar. Tomara que, se ele realmente tem falado alguma besteira, o que eu não creio, então que seja corrigida.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O que era verdade inquestionável na medicina há anos atrás, hoje pode ser uma besteira. A "besteira" de hoje pode ser a revolução de amanhã." É isso que torna a Ciência fascinante e apaixonante!

      "Os resultados falam por si". Esse é o ponto que eu defenderei com todas as minhas forças. E, como escrevi na postagem, grande parte dos resultados não falam a favor do Dr. Kater. Se você está estudando o assunto e tem resultados alinhados com as hipóteses do Kater, me mande as referências que eu gostaria de ler e analisar (pode mandar para o meu e-mail se for melhor (aportademarfim@gmail.com)).
      O meu problema não é com quem não publicou artigos científicos sobre as suas hipóteses, mas sim com aqueles que usam meios leigos, como a Internet, para propaga-las como se fossem verdades comprovadas, sem levar em consideração o outro lado da moeda e os resultados que vão no caminho contrário.
      Bons estudos e abraços!

      Excluir
    2. Dr Kater só quer alertar as pessoas, mas segue quem quiser eu estava com tuberculose e sofria MUINTO a ponto de querer tirar a vida foi quando comecei a seguir tudo que o Dr Kater ensinava e as coisas confessaram a melhorar. Hoje já não sinto mais nada então posso falar por experiência própria.Parabéns Dr Kater, continue sempre alertando as pessoas quem quiser seguir, siga.

      Excluir
  5. Pelo tanto de letras que usas pra tentar se explicar, só demonstra que és um parlatão mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Sr. Anônimo parece não compreender as particularidades da própria língua, escrita ou falada, haja vista a grafia errônea da palavra "parlapatão", assim como desdenha de toda uma literatura e evidências científicas mundiais sem ter noção alguma de como se constrói uma literatura consistente em um determinado assunto. E nesse caso posso afirmar que não é saindo por aí veiculando opinião própria na internet sem um fundamento científico. Pelo menos um!

      O Sr. que formula sua opinião no anonimato parece não perceber que o Sr. David não tenta "se explicar" como diz. Pra mim está claro que ele tenta mostrar o coerente, o palpável. Em suma: o óbvio. Aí faço minhas as palavras contidas nas máximas populares: "cego é aquele que não quer ver" ou "contra fatos não há argumentos".

      Portanto, Sr. Anônimo, o Sr. embarcou em uma vertente "falada", ou seja, não provada cientificamente e tenta dar crédito a ela, como muuuuuuita gene faz quando acredita piamente em algo, enquanto que o Sr. David nada mais faz que procurar respostas para o que está sendo veiculado como verdade. E acredito ser essa a providência do cético: buscar fatos que comprovem o enunciado, seja eles quais forem. No seu caso, sugiro então fazer o que o Dr. José Roberto sugere: empanturre-se de ovos e banha de porco e nos mantenha informados em tempo integral. Se viver muitos anos com saúde inabalada, será um caminho (eu digo caminho) para buscarmos uma evidência científica concreta.

      Excluir
    2. Sou paciênte dele e minha família come ovos todos os dias e muito ovo, e não temos problemas de saúde!!

      Excluir
  6. Boa noite! Eu acompanho os médicos em questão há mais ou menos um ano.
    Achei o seu blog por acaso, justamente pesquisando sobre o dr. Kater. Resolvi comentar, mas antes li vários outros artigos seus para poder entender como você se expressa e sobre o que você se dispõe a falar. Apesar de concordar totalmente com você sobre a questão das referências, ainda acho válido algumas orientações dadas por eles. Sobre o ovo, por exemplo, ele fala mal do ovo industrial, mas bem do ovo da roça. Ora, guardada as devidas proporções qualquer alimento em excesso fará mal, mesmo o saudável. Sempre que os ouço falando sobre os óleos, entendo que se refere ao fato deles serem parcialmente hidrogenados (se não fossem, não seriam ruins), além do canola ser derivado de uma planta toxica ( benefício vs malefício). Enfim, eles enfatizam que devemos buscar melhorias para saúde na própria natureza E de forma natural. Mas, você tem toda razão em dizer que eles deveriam embasar melhor o que dizem, afinal, são médicos.
    Eu não sou acadêmica como você e outros comentaristas, mas amo pesquisa científica. Contudo, como você mesmo concordou, é uma realidade o fato de ter sim pesquisas manipuladas.

    Adorei te conhecer. Há muito procurava alguém como você. Sempre gosto de ouvir opiniões contrárias. Tenho por hábito pesquisar tudo que ouço. E opiniões como a sua me fazem pesquisar mais.

    P.S. Será que de vez em quando eu poderia tirar algumas dúvidas, farmacêuticas ou não, com você?

    Até breve!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Cristina! Que bom que você gostou do blog! Não sei se você viu, mas também estou em outras redes sociais: tem fan-page no Facebook (https://www.facebook.com/aportademarfim), tem perfil no Twitter (@aportademarfim), e agora tem até canal do Youtube (https://www.youtube.com/channel/UCyyybqaYpc_wveo1EDhCNSw). Tem diferentes informações, notícias e comentários em cada um deles. Se você quiser perguntar qualquer coisa ou sugerir alguma pauta de discussão, pode fazer por qualquer canal desse ou mandar um e-mail para aportademarfim@gmail.com.
      Até breve!

      Excluir
  7. Não só Dr. Kater, Lair Ribeiro, Victor Sorrentino, Naif Thadel, Luciana ayes, etc...pesquise mais e vê se expande sua visão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu esposo estava com triglicerídeos e colesterol altíssimos,comecei a usar em minhas fritura óleo de girassol ou de milho, milagrosamente tudo no sangue dele normalizou, por isso afirmo que t alguma coisa errada aí nestas declaração.... Banha de porco?? Meu cunhado morreu com ad artérias entupida s,e só usava banha...

      Excluir
    2. Na minha opinião o médico está mais do que certo ... eu uso banha de porco e tenho a saúde ótima ,,,quem quiser continuar usando esses óleos hidrogenados cheio de conservantes que matam aos poucos tudo bem mas não tentem influenciar as pessoas a ficarem doentes !

      Excluir
    3. Um usava banha de porco e morreu; a outra usa banha e tem ótima saúde. O que podemos concluir? Que não podemos assumir experiências individuais com verdades científicas! Nada vai funcionar exatamente da mesma forma em todas as pessoas. Por isso, os estudos científicos sérios são feitos com análise de centenas ou milhares de pessoas antes das conclusões serem publicadas.

      Excluir
  8. Nao precisa acreditar no Dr Kater não, é só usar o Scholar Google. Não tem o que concordar, ciência é ciencia. Não existiam doenças coronareanas antes de 1930. Depois dos óleos vegetais, sim.
    Temos que cozinhar com banha de porco, e não ter medo de gorduras saturadas, nem as de cadeia media como as do óleo de coco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, podem existir pelo menos mais dois motivos para o surgimento de doenças coronarianas depois de 1930. Primeiro, elas já poderiam existir a muito tempo, mas só começaram a serem diagnosticadas com frequência depois de 1930. (O mesmo se aplica ao câncer, por exemplo). Segundo, várias outras mudanças na alimentação e no estilo de vida surgiram no pós-guerras: popularização do carro, aumento do consumo de comida industrializada, aumento do consumo de cigarro, etc... Se você me mostrar no Scholar Google um artigo científico que mostre uma relação de causa e efeito entre consumo de óleos vegetais e doenças coronarianas, dou meu braço a torcer... Afinal, Ciência é Ciência...

      Excluir
    2. Fui curada seguindo tudo que Dr Kater me passou já estava desanimada e com vontade de morrer, quando comecei a fazer tudo de acordo com os ensinamentos do Dr Kater, assim ganhei nova vida. O próprio médico que me acompanhava ficou MUINTO admirado com minha melhora, não canso de ler os artigos de Dr Kater e Dr Lair Ribeiro eles sabem o que diz. Agora quem quiser continuar comendo tudo que faz mal, que continue a gosto para tudo. Eu particularmente adoro Dr Kater.

      Excluir
    3. Fui curada seguindo tudo que Dr Kater me passou já estava desanimada e com vontade de morrer, quando comecei a fazer tudo de acordo com os ensinamentos do Dr Kater, assim ganhei nova vida. O próprio médico que me acompanhava ficou MUINTO admirado com minha melhora, não canso de ler os artigos de Dr Kater e Dr Lair Ribeiro eles sabem o que diz. Agora quem quiser continuar comendo tudo que faz mal, que continue a gosto para tudo. Eu particularmente adoro Dr Kater.

      Excluir
    4. Olá, entrei por acaso aqui neste blog. Peço licença para discordar de você David neste post. Há dois anos minha mãe estava perdendo a saúde em decorrência de diabetes. Até aquele momento a diabete havia comprometido alguns órgãos e também desenvolveu resistência insulínica.
      Teve infarto, mesmo passando longe de gorduras de origem animal.Sempre se tratou. Fazia dieta recomendada por endocrinologista tradicional.
      Um dia um dos médicos dela conversou comigo e disse que ela não mais respondia ao tratamento.
      Foi então que pesquisando encontrei a dieta LOW CARB.Segui as orientações do dr Lair Ribeiro e Dr José Carlos Souto e do Dr. Kater .
      Em poucos meses ela saiu da insulina,e passou a remédios antiglicemicos( antes não lhe faziam nenhum efeito) , também não usou mais estatinas.
      Há um ano come gorduras, creme de leite, queijo, Bacon. Usamos óleo de coco para cozinhar e cortamos muitos carboidratos e cortamos os óleos vegetais comuns.Utilizamos azeite e óleo de coco.
      E pasme, seus exames tornaram-se normais já nos 3 meses de dieta. Pela primeira vez, em 30 anos de diabete 2 crônica( detalhe: ela tem 80 anos).
      O que tenho a lhe dizer é que existem evidências de que isso funciona.
      Abraços

      Excluir
    5. Estamos falando de coisas diferentes; ovo é uma coisa, dieta com restrição de açúcares é outra bem diferente. Mas de qualquer forma: funcionar com a sua mãe não prova nada. Ela mudou toda a alimentação: o que funcionou afinal? Foi uma coisa ou o conjunto de coisas? Ou não foi nada (existe uma cópia da sua mãe com não mudou a alimentação para a gente poder comparar)? Ou seja, experiências individuais não podem ser usadas como provas científicas porque não temos com o que comparar e porque pode simplesmente ser sorte. Para isso, os testes clínicos são feitos com milhares de pessoas, separadas em dois grupos para que possamos ver, de fato, os resultados e tirar conclusões.

      Excluir
  9. Dr Karter está consoante com oq existe de + inovador ... O Proprio Gayton já deixa claro o efeito inibitorio da ingesta exogena de colesterol em sua produção interna ... só para falar o basico do basico ... blablabla ... Nem vou falar da midia a respeito de sua inlfuencia! Acho que sua visao sobre ela é bastante inocemte ... e olhe, tenho experiência no meio famaco/midio/pesquisa, se é que me faco entender! Mas gostei do blog! Parabéns

    ResponderExcluir
  10. Vamos estudar mais, né!!!!!!!!!!
    Trabalhos academicos e bons livros estão disponíveis por ai...

    ResponderExcluir
  11. Davi, boa noite!
    Há um livro escrito por um conceituado cardiologista do Rio de janeiro chamado Sérgio Puppin. O título do livro é: Doenças cardiovasculares - verdade e mitos. Ele trás aampla referencia bibliográfica relacionada ao tema proposto, contudo nao tem o Lattes.

    ResponderExcluir
  12. Caramba, se óleos proveniente de plantas modificadas como a cousa no Canada, hidrogenado com conservantes e anti-oxodantes não fizerem mal, gordura de porco deverá fazer muito menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sugiro a leitura de mais dois textos do blog: http://aportademarfim.blogspot.com.br/2015/11/gorduras-gorduras-gorduras.html (sobre os efeitos da gordura saturada) e http://aportademarfim.blogspot.com.br/2015/11/nao-o-oleo-canola-e-nao-e-um-veneno.html (sobre o óleo canola).

      Excluir
  13. Acho que o David, conscientemente ou não, faz propaganda da medicina convencional; nada pode garantir que estas tais pesquisas referenciadas, utilizadas por ele, não sejam manipuladas. A lógica é que a medicina e o mercado são coisas que não se casam. Na indústria farmacêutica a prioridade é o lucro. Na medicina, em tese, a prioridade é a comunidade. Contudo, alguns profissionais da saúde se vendem ao poderio da indústria de fármacos. Estas têm suas ações na bolsa de valores, a conseqüência disso é que ano a ano os lucros precisam ser cada vez mais altos com drogas patenteadas para ser atraentes aos investidores e aos acionistas. Para tais indústrias o que vale são os remédios, as curas baratas são descartáveis. Veja-se, por exemplo, o caso da fosfoetanolamina, o que justificaria tamanho entrave para realização dos testes clínicos, para se dá a produção em escala comercial? O motivo é claro, embora se dê por ilação: porque a cura do câncer seria por demais barata. O custo de cada comprimido sairia a R$ 0,10. Uma possível cura, com três meses de tratamento sairia por R$ 9,00; um tormento para a indústria de fármacos,também aos custos astronômicos da químico e da radioterapia. Talvez fosse o fim da indústria do câncer como a conhecemos hoje.É notório que hoje as indústrias de fármacos financiam médicos e até mesmo familiares para treinamentos e convenções realizados fora do país; evidente que isso não é obra de caridade, sempre se espera um retorno para os patrocinadores. A partir dessas premissas podem se tirar conclusões as mais diversas, todavia pouco animadoras para a sociedade. Poucos são o que ousam contrariar o sistema. O Dr. Lair, o Dr. Káter e Dr. Rachid, e outros poucos, são heróis em um meio cada vez mais promíscuo, não por coincidência falando a mesma linguagem. São exemplos vivos de boa saúde. Cuidado, a inveja é um dos sete pecados capitais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, medicina e mercado não combinam. Felizmente, o Brasil é um dos poucos países que (tenta) fornecer saúde de graça para a população. Nesse caso, você não acha que o governo seria o primeiro a abraçar um tratamento muito mais barato? Na verdade, ele abraçou; disponibilizou 10 milhões de reais para testar a fosfoetanolamina e estamos descobrindo que ela não funciona (e que as cápsulas da USP não tinham tanta fosfoetanolamina quanto diziam). Além disso, os custos da produção podem não ter relação com o preço final do produto. Você consegue fazer fosfoetanolamina em casa? Provavelmente não. Então uma indústria farmacêutica pode produzir o remédio barato e vender muito caro, especialmente se ela tiver o monopólio da produção, obtendo muito mais lucro que hoje. O preço de um remédio está muito mais relacionado ao que ele cura do que com o seu custo de produção. E, se o Dr. Lair, é um herói em um meio cheio de dinheiro promíscuo, ele podia liberar seus cursos de graça e não cobrar R$ 1.200 por ano para leigos e mais de R$ 8 mil para médicos terem acesso aos seus ensinamentos especializados.

      Excluir
    2. Eu penso que a pesquisa científica é importantíssima, porém é importante saber também e principalmente quem financia a pesquisa. A má ciência existe e está aí pra quem quiser procurar, e nem precisa ir muito longe. A indústria alimentícia e farmacêutica tem interesses em financiar pesquisas que ajudem a vender seus produtos, não sejamos ingênuos nem pra um lado, nem pra outro. E os dados das pesquisas podem e são muitas vezes manipulados sim. Os óleos vegetais são veneno sim, péssimos pra saúde. O alto consumo de carboidratos refinados e açucares idem. A banha de porco, os ovos são alimentos saudáveis. É só verificarem o índice de mortalidade por doença cardíaca e diabetes, que saltou aos píncaros depois que enfiaram na cabeça das pessoas que margarina, óleos vegetais,os diet, ligth, são opções saudáveis. Só se for para a indústria.

      Excluir
    3. Concordo com quase tudo que você disse, Izabel. Só discordo que os óleos vegetais sejam os únicos responsáveis pelo aumento em doenças do coração e diabetes. Junto com eles, vieram também o consumo excessivo de açúcares, redução na quantidade de exercício físico, etc. Não dá para acusar apenas os óleos vegetais. Existe uma correlação, não uma relação de causa e efeito. Por exemplo, pesquisas recentes indicam que o açúcar é o vilão do coração e não as gorduras, de qualquer tipo. (http://aportademarfim.blogspot.com.br/2015/11/gorduras-gorduras-gorduras.html)

      Excluir
  14. CONTINUO CONFIANDO NOS DRS LAIR RIBEIRO E DR KATER UM ABRAÇO

    ResponderExcluir
  15. ISSO JA ESTAR FICANDO IGUAL POLITICA SAI FORA VAI LER MAIS POR QUE VOCE NAO TA INTENDENDO NADA DAVID

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, parece política. Um monte de gente falando sobre coisas que não entendem.

      Excluir
  16. David, a título de ilustração e depoimento prático da questão (do ovo): sou vegetariano (ovolacto) e até janeiro de 2016, treinava todos os dias natação e academia. Dai tive um surto de estresse (ou overtraining) e dai para frente não fui mais o mesmo, e até parei de treinar. Resumindo as idas e vindas nas especialidades médicas, descobri uma insuficiência do hormônio cortisol. E só descobri depois pesquisar meu problema e assistir ao vídeo do Dr. Kater ( https://www.youtube.com/watch?v=coSsV3Uf9c4&list=PLBASu5UrYd-69huGtJhYWEtISXo7UHQ6U ) onde ele explica a fadiga adrenal) dizendo que isto só é diagnosticado depois da sétimo médico, se rezar!!! (se referindo ao desconhecimento ou ignorância dos médicos em identificar tal disfunção endócrina) Mas voltando aos ovos. Neste período, fiz muitos exames e na maioria deles medindo o colesterol que quase sempre beirava o limite tolerável. Comecei então uma ingesta maior de ovo (para ajudar o cortisol baixo), dois quentes por dia. Depois de tres meses ou mais, nesta dieta (além da vegetariana), no exame de sangue que se seguiu, tive uma prazerosa surpresa: os índices de colesterol(LDL e Total) baixaram significativamente! O que viria a reforçar a tese do Dr. Kater.

    Conclusão, enquanto os adéptos da medicina baseada em evidências, buscam evidências, fazendo "mir" exames, as vezes inconclusivos e demorados, arrastando o sofrimento dos pacientes, os médicos de verdade como o Dr. Kater e tantos outros naturopatas (eu mesmo quando me formei conheci um de verdade, que tinha até Tratado de Medicina: Dr. Walter Mafei), buscam evidências clínicas e associativas, e tratam pronta e sabiamente o doente, como um todo, premissas dos aforismas de Hipócrates, pai da medicina, e que há poucas décadas atrás, os médicos recém formados, juravam seus diplomas a ele. Coisa que não fazem mais, pois hoje juram fidelidade aos laboratórios farmacêuticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou curado do seu overtraining seguindo as indicações do Dr. Karter? Dr. David, quais são as suas considerações sobre este vídeo citado e a experiência do Walter, que foi curioso ele passar em vários médicos e nenhum acertar no diagnóstico.

      Excluir
    2. Não sou especialista em fisiologia endócrina, então não me sinto confortável em comentar o assunto se estudar mais a fundo. Vou ver o vídeo e estudar sobre; dependendo da material respondo aqui ou faço uma nova postagem no blog.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Levou mais de um ano, mas saiu. Minhas conclusões: insuficiência adrenal existe e é séria; fadiga adrenal é mito. http://aportademarfim.blogspot.com.br/2017/10/fadiga-adrenal-uma-doenca-que-nao-existe.html

      Excluir
  17. Pensem nisso: o caso do glúten . O Presidente Obama, o homem mais poderoso do mundo tentou banir o glúten dos alimentos mas não conseguiu. O máximo que conseguiu foi que nas embalagens dos alimentos contivesse a frase: Contém Glúten.
    O glúten é adicionado aos alimentos para provocar fome pouco tempo depois de se comer o produto que o contém. Tudo isso para as pessoas comerem mais e aumentar os lucros das indústrias alimentícias. Precisa dizer mais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glúten adicionado aos alimentos? Isso não existe. O glúten é uma proteína natural encontrada em algum grãos, como o trigo.

      Excluir
    2. David, como vc tem paciencia. haha essa dai foi dificil de ler. amei a materia.

      Excluir
  18. Somos o que comemos, não precisamos entender muito do assunto pra saber quem está certo quem está errado, basta olhar para o que nossos avós e antepassados comiam, os casos e quantidades de doenças que existiam naquela época, será que tem a ver com aos alimentos industrializados, óleos, produtos químicos incorporados aos alimentos hoje em dia, tudo por conta da falta de tempo, agrotóxicos utilizados nas verduras e legumes, antibióticos utilizados na criação das aves, e muitos outros casos, enfim será que isso não está relacionado às doenças quem cresceram muito nos dias atuais, e algo a ser pensado, por isso muitas pessoas estão buscando alimentação orgânica, voltando o que nossos avós consumiam, esse é meu pensamento.

    ResponderExcluir
  19. Difícil mesmo é saber qual o caminho a seguir, todos são convincentes e ao mesmo tempo despertam desconfiança. Minha esposa foi diagnosticada com diabetes tipo 2, ao iniciar com os medicamentos(alopatas) acabei com a dura realidade que os "efeitos colaterais" são piores que a própria doença, por fim, não sei mais qual caminho seguir, alopata, homeopata, ortomolecular ou deixar as coisas acontecerem. Vivemos dias difíceis, pois a falta de escrúpulos está generalizada, ouvimos diversas opiniões totalmente divergentes e sabemos que todos tem interesses próprios para nos convencer, isso é lamentável, pois estão tratando de vidas humanas com descaso, visando somente interesses financeiros.

    ResponderExcluir
  20. Um cara que poe como argumento que o pai comia banha de porco e morreu de 100 anos, não merece ser escutado com esse "método cintífico". Igual é muito valioso este artigo para desmascarar um atrevido como esse. Queria ver o presunto diploma do presunto doutor. Mais um charlatão.

    ResponderExcluir
  21. Parabéns pela pesquisa e por esclarecer muitas dúvidas. Obrigado

    ResponderExcluir
  22. Parabens pelo texto, excelente trabalho de pesquisa e referências. Uma pena que os ignorantes ainda querem acreditar em fantasias e mágica pelo simples fato de não assumirem que comem ovo simplesmente pq gostam.

    Jose Carter, obeso e no caminho da morte igual Dr Atkins.

    ResponderExcluir
  23. SOU CARDIOLOGISTA E PLANTONISTA EM UIT CORONÁRIA. DE ALGUM TEMPO PARA CÁ VENHO COLHENDO O HISTÓRICO ALIMENTAR DE PACIENTES ADMITIDOS COM SÍNDROME CORONARIANA AGUDA, QUE TEM SE MANIFESTADO EM IDADES MAIS PRECOCES. POIS BEM; EM CERCA DE 2/3 DOS CASOS NÃO HÁ HISTÓRICO DE DISLIPIDEMIA, O QUE ME CHAMA A ATENÇÃO. TENHO OBSERVADO, ISSO SIM, HISTÓRICO DE ALTO CONSUMO DE CARBOIDRATOS, REFRIGERANTES, A PRESENÇA D SEDENTARISMO, DE TABAGISMO, DE OBESIDADE, SÍNDROME METABÓLICA (O QUE É A SÍNDROME METABÓLICA SENÃO UM DISTÚRBIO ALIMENTAR, MORMENTE DESENCADEADA POR CONSUMO ELEVADO DE CAOBOIDRATOS, COM A PRESENÇA DE ALGUMAS CARACTERÍSTICAS BIOQUÍMICAS, COMO HIPERTRIGLICERIDEMIA, BAIXO HDL COLESTROL, DIABETES MELITO OU PRÉ DIABETES, HIPERTENSÃO ARTERIAL - SENDO QUE DUAS OU MAIS DESSAS COMBINAÇÕES, JUNTAMENTE COM A OBESIDADE, JÁ CARACTERIZAM ESSA SÍNDROME). NA MINHA MODESTA OPINIÃO (JÁ QUE AS MINHAS OBSERVAÇÕES NÃO SÃO ESTUDOS DE METANÁLISE (ESSES, SIM SÃO OS ESTUDOS MAIS ROBUSTOS), FICO COM UM PÉ ATRÁS COM ESTUDOS PATROCINADOS POR INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS, COMO SÃO A GRANDE MAIORIA DELES. DE QUALQUER MODO, HÁ QUE SE TER EQUILÍBRIO, EM SE TRATANDO DE ALIMENTAÇÃO. COMA SUA GORDURA, USE OVOS COM PARCIMÔNIA, USE GORDURAS BOAS (ABACATE, NOZES, CASTANHAS, CHIA, E OUTRAS RICAS EM ÔMEGA 3), REDUZA O CONSUMO DE CARBOIDRATOS, ELIMINE O AÇÚCAR E REFRIGERANTES E SUCOS DE FRUTAS (ALTO TEOR DE FRUTOSE), PRATIQUE ATIVIDADE FÍSICA, FAÇA MEDITAÇÃO, ORE, SE VOCÊ CRÊ, COMO EU CREIO, DURMA BEM, AUMENTE A INGESTÃO DE FIBRAS E DE FRUTAS (SEM EXAGERO, EM VIRTUDE DA FRUTOSE). VIVA BEM!

    ResponderExcluir
  24. A verdade é uma só, comendo ovo ou não, um dia a gente vai bater as botas de qualquer jeito. Kkk

    ResponderExcluir
  25. Recebeu quanto pela contrainformação?Tonto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada. Quem me dera receber só por dizer a verdade...

      Excluir
  26. Boa noite tenho pouco estudo secular.contudo pricuro usar o bom senso e percebo como nas citacoes do dr lair ribeiro varias citacoes enclusive de ganhadores de premios nobil de medicina e pesquisadores frequentemente citado pelo dr lair.e me parece no minimo estranho que o pesquisador do blog desconsidere as referencias que sao passadas pelo dr lair dr kater evandelio e outros.para um bom pesquisador nao e novidade por exemplo que o sal marriho e na verdade um regulador de pressao .mais o sal refinado perde todos os minerais .mais que apesar disto continuace vendendo essa porcaria como se foce bom.forao as didas pesquisas cientificas que o nosso caro pesquisador do blog dis que temos que abservar com caltela.note que.foi atraves da pesquisa dita seria e responsavel que acrecentou o iodo no sal refi nado para segundo disem resolver ploblemas do bocio.mas esquecerao de diser inao so o iodo mais com o iodeto sao muito importante nao so para a gladula tiriode como varios outros orgos..este exemplo simples ilustra bem que nao e' por falta de confirmacao cientifica que se continua esta pratica.prova disso e' que outros paises seguem outras praticas .a china usa muito o sal marinho .e nao tem esse numero absurdo de bocio..seria mera coicidencia.acho que nao? Agora me pergunto seria mera coincidencia que a imdustria farmaceutica cada ves produs mais remedios para gerar mais lucros .sendo que serca de 40 medicamentos serian suficientes para curar todos os males modernos.e que antes de todas essas pesquisas e lucros as pessoas tinhan alimentos mais naturais agua de menhor qualidade .nao ttinhamos cancer de prostata de mama etc.o obvio que tanta contaminacao na agua no solo nos alimentos e o responsavel por tantas doencas..como alguem em sao conciencia pode acreditar que tudo no passado sem co hecimento cientifico era mais saudavel e que agora apesar de tantas pesquisas tudo evoluiu para mais doencas mais remedios.nao se torna obvio que o verdadeiro interece nao e apenas ajudar mais sim lucrar.longe de acrediar na teoria da conspiracao acredito sim em falta de escrupulos e o interece ganancioso.falace tanto em progresso.mais podece falar em progresso quando o homem consegue chegar a lua mas aqui em baixo na terra nao consegue nem providenciar o suficiente alimento para todos .sendo que a terra tem capacidade para prover mais do que o necessario para todos.o problema nao e falta de pesquisa ou informacao mais sim a falta de interece em resolver tais problemas .a ganancia comercial ,governamental e farmacologica e que e o grande cancer que esta nos destruindo..o escritor do blog precisa ainda de mais evidencias de onde vem o problema!e ainda desconfia quando alguem dis que a agua nao e pura o sobre esta contaminado o alimento e modificado e nos prejudica assim porico temos que reverter esse proceso purificando a agua o solo e alimento antes que morremos cheios de todo tipo de doenca.nao sou contra a ciencia ou conhecimento .desde que benificie a todos nao a uma minoria gananciosa..que raios de ciencia e essa quanto mais pesquisa .mais morre gente ,mais polui e destroi.apesar de tanta manipulacao e mentira da peseudo ciencia fico felis quando vejo surgir um dr kater ou lair ribeiro que nos fas tentar retomar o que a naturesa nao corrupta mais sabia nos deichou desde antes deste caos que e e' a falca ciencia atual





    s


    ResponderExcluir
  27. A pessoa que publicou esse artigo faz parte dum grande grupo que precisa quebrar um gigantesco paradigma que é controlado pela poderosa mídia e financiado pela indústria farmacêutica.

    ResponderExcluir
  28. Boa Tarde SR . DAVID ! EM PRIMEIRO LUGAR ACHO QUE O AUTOR DO BLOG É UM IGNORANTE , PORQUE MEDICO NENHUM IRIA SE EXPOR SE NÃO QUISESSE AJUDAR AS PESSOAS A VIM FALAR A PUBLICO PARA SE TER VIDA MAIS SAUDÁVEL ! ELES PODERIAM FICAR RECEITANDO REMÉDIOS PARA REMEDIAR , E NÃO CURAR , SENDO QUE SE LUCRA MUITO MAIS COM ISSO , DO QUE VIM DA A CARA A TAPA E ALERTAR AS PESSOAS DOS MALES QUE ESTÃO COMETENDO NA SUA ALIEMENTAÇÃO !
    E NÃO VEJO MAL ALGUM EM DR. KATER , LAIR , EVANDELIO , RACHID , JAIME BRUNIG E OUTROS ! VIM DIZER PRA MUDAR A ALIMENTAÇÃO PARA MAIS SAUDÁVEL, TOMAR VITAMINAS, MINERAIS ESSENCIAIS PARA A SAUDE , SENDO QUE A MAIORIA DOS MÉDICOS NÃO FALAM ! PORQUE QUEREM VER O PACIENTE TOMANDO REMÉDIOS PRA SEMPRE E LUCRANDO COM ISSO !
    ACREDITO QUE ESTÃO CERTÍSSIMOS DE ALERTAR AS PESSOAS SIM !
    MUITAS JÁ FORAM CURADAS DE VÁRIOS MALES QUE ESTAVAM DESENGANADAS POR OUTROS MÉDICOS !
    TEM CASOS DE PESSOAS QUE SÓ COM A MUDANÇA NA ALIMENTAÇÃO MELHOROU DE MUITOS PROBLEMAS !
    AGORA VOCÊ QUE ESCREVEU O BLOG APRESENTE UMA SOLUÇÃO PARA MELHORAR A SAUDE DAS PESSOAS , OU ATÉ MESMO A CURA , EM VEZ DE FICAR FALANDO ASNEIRAS DOS MÉDICOS QUE VEM AJUDAR !
    VAI ESTUDAR E TER MIAS CONHECIMENTO ANTES DE SAIR FALANDO BOBAGENS EM BLOGS POR AI !
    ELES SÃO MÉDICOS DE CARATER E RESPEITO E SABEM SIM O QUE ESTÃO FALANDO !
    SE VOCÊ É O SABICHÃO APRESENTE-NOS UM TRABALHO CIENTIFICO COMPROVADO FALANDO O CONTRARIO !
    VOCÊ PODE DAR AS MÃOS PARA ESSA CORJA DE AMBICIOSOS DE LABORATÓRIOS , FARMACÊUTICOS , MÉDICOS QUE SÓ ENGANAM ETC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se todas os artigos científicos que eu cito no final do texto não são suficientes, não sei o que posso fazer por você.

      Excluir
  29. Caro David,
    Sinto muito em informá-lo que a indústria alimentícia, farmacêutica quer é desinformá-lo! Até hoje, vivemos na ilusão destas premissas pagas por 1/2 dúzia de cientistas para dizer que é bom e que devemos consumir, isto são a imensa gama de produtos que enriquecem os poderosos! Basta atentarmos o quanto as pessoas, quase toda a sociedade são acometidas pelos mesmos males! Ainda por cima, o quanto a indústria bilionária, parasitas do Governo, vivendo as nossas custas, mutilam, tirando órgãos que nem precisariam! O quanto as pessoas estão altamente intoxicadas de remédios! E vemos a cura nisso? NÃO!!!! Apenas não nos matam de vez, por quê matar aos poucos é mais lucrativo! Primeiro, depenam o pato, depois, tiram-lhe a buchada; por fim, pisam na cabeça, terminando por sufocá-lo!!!! Minha família é um exemplo disso ... e eu não embarquei nesta!!!! ... observei o que acontecia a cada um que se entupia de remédios: ou estão em baixo da terra, ou em cima, mas todo estropiado! Os sobreviventes foram tratados diferentes, uma vez q dependiam de mim: tirei-lhe tudo o que comiam até agora, introduzindo alimentos saudáveis, não industrializados ou processados, assim também a retirada do leite, etc., etc. Alimentação c/bastante ovos, e todas as boas recomendações destes GRANDES MÉDICOS, como o Dr. KATER, Dr. LAIR RIBEIRO, Dr. NAIF TADEU, entre outros!!!! Fabuloso, pois pararam de morrer e estão em franca recuperação! Reafirmo aqui o comentário acima em que estes Doutores foram elogiados! Elogio é pouco, pois estão trabalhando na contra-mão do poder econômico! ... E que coragem eles têm para peitar a multidão de contras! Mas haverá um dia, não muito distante, haja vista o clamor dos que já entendem, em que removeremos tudo o que não é saudável de nossa sociedade! Pesquise, por favor, o currículum do Dr. Lair Ribeiro, do Dr. Kater, do Dr. Naif Tadeu! Veja os artigos científicos de médicos renomados que eles citam! Pesquise para saber se é científico ou não no Google Acadêmico! Assim, pensaremos fora da matrix! Por persarmos sempre o mesmo que não conseguimos mudar. Não tenho a intenção de fazer crítica negativa, mas sim, construtiva, pois já é bastante elevado o numero de médicos deste nipe trabalhando a nosso favor e, a cada dia, há cada vez mais seguidores experimentando, mas o fato é que estes bons médicos primeiro testam em si e na família para depois, comprovados os resultados, aplicarem em sua´s clínicas! Não lembro o nome de outros no momento para fazer justiça, mas há um em especial, que devo citá-lo PAULO TREVISOL BITENCOURT - Cientista da UFSC, neurologista, etc., etc., em que ele fala num de seus vídeos que as estatinas são um verdadeiro veneno, extirpando a memória das pessoas, além de intoxicá-las. Tirei aos poucos a tal estatina de uma pessoa da família e vai muito bem, obrigada ... e graças ao Dr. Paulo Trevisol. Digoxina também tirei e é claro, paralelo a uma alimentação de qualidade! Dr. ALBERTO PERIBANEZ é outra referência, a cientista brasileira CONCEIÇÃO TRUCOM, etc., etc. E é isto e na intenção de jogar a luz do outro lado escuro da montanha é que não pude ver o que estava escrito e deixar assim uma inverdade. Desculpe-me, David, estes artigos "científicos" são encomendados, assim como fizeram um grupo de políticos nos EUA que decidiram sobre produtos alimentícios e remédios, sem a participação de médicos ... E o Brasil? ... E o Brasil seguiu os parâmetros adotados pelos EUA! Hoje, a mídia solta muito devagar, roendo o mingau pelas beiradas: o ovo é saudável, X, Y alimentos faz bem, etc., etc. para não ficarem tão atrazados! Vamos pesquisar muito, pois não podemos ir "ipsis literis" fazendo o que querem que façamos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ano novo, argumentos velhos... Já cansei que contra-argumentar sempre as mesmas coisas. Tenho uma sugestão: falácia do apelo à autoridade está proibida nos comentários. Encher a boca para falar que o grande Dr. Fulano diz tal coisa, logo tal coisa é verdade não é argumento. Eu sou mestre e doutor em Bioquímica, professor da maior Universidade federal do país, tenho mais de 20 trabalhos científicos publicados, e não uso isso como argumento, porque não é. O argumento certo para discutir é ir no Google Acadêmico, pesquisar os artigos que dizem que eu estou errado e o Dr. Kater está certo, e colocar aqui para a gente avaliar e discutir. Eu não achei nenhum. Se alguém achar para me mostrar, ficarei agradecido.

      Excluir
  30. Mais como vocês são inocentes,esse"intelectual" do autor do blog deve ser mais um desocupado tentando ganhar alguns trocados do google AdSense do contrário não deixaria espaço para publicidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felizmente não, porque se eu dependesse do dinheiro que o blogue gera, eu já teria morrido de fome. Mas o dinheiro arrecadado vai ser usado para comprar os materiais necessários para a manutenção do canal no YouTube.

      Excluir
  31. A Medicina ocidental segue a passos largos por caminhos perigosos, pois desviaram da rota que leva à saúde.
    Dirigida por laboratórios e interesses bilionários, cada vez se afasta mais da essência.
    Penso dessa forma e sendo assim, discussões com esta, não levam a lugar algum. Doenças são predominantemente de origem emocional e o uso de substâncias que remediam os problemas, ditas remédios, além de deixarem inúmeras sequelas, por não resolverem a origem do problema, cria um hiato até esses desajuste emocional se apresentar com mais força.
    Volto esse raciocínio ao início da discussão que fala do uso ou não de alguns alimentos.
    Prova maior que esses alimentos podem ou não trazerem resultados, está na quantidade de depoimentos controversos.
    Isto porque discute-se fora do assunto ovo é bom, ovo é ruim. Gordura animal é boa, ou ruim. E assim passam-se décadas e os testemunhos não se concluem.
    Não quero colocar minha experiência pois é um ponto num gigantesco universo, mas garanto que quando larguei mão de atacar os sintomas como enxaquecas, pressão alta, insônia, pH do sangue muito baixo, e mais uma lista de sintomas, e fui paulatinamente me equilibrando emocionante, passei dos 30 anos de idade com dezenas de problemas de saúde, para hoje com 58 anos de idade, com uma vida perfeitamente equilibrada.
    Acreditem, não tenho nada do que reclamar. Nada mesmo e levo uma vida equilibrada com uma alimentação variada e saudável, atividade física e para mim o determinante:
    Cortei toda fonte de açúcar e trigo. Posso dizer que é praticamente zero minha ingesta de açúcares e trigo.
    Pesquisas tem seu valor, claro. Mas pesquisar pessoas com emoções totalmente diferentes pois cada um é um mundo distinto, não vai se chegar a conclusão precisa. Está se trabalhando na ponta final, em cima do sintoma, analisando melhora ou piora de resultados de análises, porém de um grupo grande de pessoas com suas matrizes emocionais totalmente distintas.
    Por isso esses assuntos não tem fim, não tem conclusões, e sempre teremos correntes para diversos lados pois, é uma vê fade relativa a cada indivíduo, a cada corrente.
    O modelo está corrompido. O modelo médico ocidental está corroído e tudo que é gerado através dele, não terá uma saída satisfatória.
    Conheçam mais a medicina oriental, quebrem paradigmas e garanto uma vida no mínimo melhor que essa seleuma que fizeram com nosso ocidente.

    ResponderExcluir
  32. David, PARABÉNS. Vc deve saber bem, mas ainda assim acho interessante registrar que, nunca é fácil tentar demonstrar entendimentos, conclusões e até mesmo a verdade. Vc fez o que pessoas sérias fazem e o que é exigido na atualidade para publicar, seja de forma escrita ou oralmente, conclusões no meio médico-cientifico, apresentou as pesquisas reconhecidas que acompanham os textos fonte de suas conclusões.

    As pessoas passam a abordar assuntos totalmente paralelos para justificar algo que não tem embasamento científico.

    É claro que o dr. Kater não é o único a apoiar tais informações, mas como muitos citaram ele se apóia totalmente nos ensinamentos de outros seus professores; porém ainda assim igualmente não são apontadas as fontes científicas utilizadas pelos primeiros! Talvez porque não existam.

    Diferentemente do que a dra. disse acima, pessoas leigas como eu não, de áreas outras que não medicina, muitas vezes tb desconfiam de notícias que soam estranhas e vamos sim pesquisar. E seu artigo trouxe informações úteis e com respaldo.

    É difícil tentar explicar para indivíduos, por exemplo, pacientes do dr. Kater, que cientificamente há enormes lacunas em uma notícia veiculada tão amplamente. Bastaria, como vc disse, a publicação de um artigo com fontes científicas, e não mera citações a seus professores claro.

    Quanto a ele ser um excelente médico. Bem, pode ser mesmo. Mas isso não inválida nada sobre o tema abordado aqui, as falhas inexplicáveis para a veiculação da notícia como o fez, principalmente porque o fez como se comprovada fosse!

    Ainda acho importante notarmos que, empregar o senso comum e datas, assim como antes e depois abstratamente, sem qualquer concretude, obviamente nada diz. Explicou-me. Se antes de 1930 não existiam problemas de saúde que após passaram a existir e etc. (como o sr. mesmo já apontou em sua respota), implica em inúmeros e infinitos fatores que a própria abstração desnorteia e não justifica o raciocínio. Para se entender melhor este ponto seria necessário o indivíduo partir da leitura de revistas científicas o que daria bom embasamento para compreender a necessidade de pesquisas, bem como a conjuntura de suas realizações claro (isso é, com grupo placebo, espectro abordado, anos empregados etc.); ou mesmo a leitura de textos elaborados para leigos, mas em publicações sérias, que trazem todos os elementos chaves descritos acima, para sustentar as conclusões.

    Enfim, parabéns e obrigada, David.

    ResponderExcluir
  33. Caro colega, estamos agora, em 2017. Acabei de ler o seu artigo Você ainda mantém o mesmo posicionamento? Gostaria, então, de aconselhar-lhe a leitura de mais de 3 mil artigos científicos desenvolvidos no Reino Unido, França, Alemanha, EUA e Japão sobre a "farsa do colesterol". Caso a leitura lhe seja algo cansativo, existem vários "videos" sobre o mesmo assunto. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloca as referências dos artigos científicos aqui que eu leio. Mas gostaria de lembrar que escrevi esse texto com base em artigos científicos, e não em coisas da minha cabeça.

      Excluir