terça-feira, 28 de julho de 2015

Água oxigenada e plantas transgênicas


Há pouco tempo atrás, se acreditava que o genoma dos seres vivos se dividia entre genes, pedaços de DNA que produzem proteínas, e o resto, basicamente inútil. Ledo engano! Nos últimos anos, descobrimos que muitas partes do genoma que não codificam proteínas têm como função regular a atividade dos genes, ligando ou desligando, diretamente ou gerando moléculas de RNA para isso. Esse conjuntos de RNA são chamados de RNA de interferência, ou RNAi para os íntimos. E hoje, o RNAi é uma ferramenta importante para diversas parte das ciências biológicas, seja na realização de experimentos, ou para novas tecnologias para tratamento de doenças humanas ou desenvolvimento de plantas modificadas geneticamente. Mas o maior problema é que ainda sabemos pouco como os RNAi funcionam ou chegam até as células.

Um grupo de cientistas australianos investigou parte da questão em uma planta modelo de estudo, chamada Arabidopsis thaliana. Já se sabia que os RNAi produzidos na raiz da planta chegavam até as folhas, passando de célula para célula. Mas a pergunta a ser respondida era: como isso é regulado? Para abordar a questão, os pesquisadores causaram mutações aleatórias nas plantas e analisaram se em alguma delas a viagem dos RNAi era bloqueada. Eles analisaram 10 mil plantas e descobriram algumas com essa característica. Essas plantas onde o RNAi não passavam de célula em célula foram mutadas em um gene chamado RCI3. Esse gene produz uma proteína que tem como função fazer água oxigenada (sim, água oxigenada produzida pela planta!; mas atenção: pessoas não são mais louras porque tem mais dessa proteína, hein?).

Os cientistas mediram a quantidade de água oxigenada nas plantas e viram que as mutantes tinham menos, como era de se esperar. Além disso, quando as plantas mutantes foram tratadas com água oxigenada (será que elas ficaram louras?) os RNAi foram capazes de passar de uma célula a outra, indicando que a água oxigenada é um sinal produzido pelas células e que permite a viagem dos RNAi.

Os pesquisadores acreditam que esse sistema é exclusivo para plantas, que possuem células bem diferentes para células animais. Mas isso não quer dizer que a pesquisa não é importante: entender como o RNAi funciona nas plantas pode permitir que os cientistas criem plantas transgênicas de forma mais fácil e mais eficiente. Isso pode revolucionar diferentes áreas da nossa vida, da agricultura à saúde humana.

Referência:

LIANG, D.; WHITE, R. G.; WATERHOUSE, P. M. Mobile gene silencing in Arabidopsis is regulated by hydrogen peroxide. PeerJ, v. 2, p. e701, 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário