terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Computadores contra o câncer

Se você não matou suas aulas de biologia na escola, já deve ter ouvido algo sobre o RNA, o filho do DNA, só que bem menos famoso que o pai. O RNA é produzido diretamente como uma cópia do DNA e inicialmente se pensava que ele só tinha funções na produção de proteínas nas células. O RNA possui o código genético (que veio do DNA) para a produção das proteínas, além de participar diretamente da síntese dessas, fazendo parte das estruturas celulares que constroem as proteínas e fornecendo os aminoácidos que são usados para a produção. Porém, nos últimos anos, a Ciência vem descobrindo que o RNA pode ter várias outras funções. Eles podem regular processos das células e ligar ou desligar diferentes genes. Diversos RNAs envolvidos com doenças como câncer, diabetes e obesidade já foram identificados. Agora cientistas pelo mundo afora procuram drogas que possam agir sobre esses RNAs para tentar combater essas doenças. Mas não é fácil.

Um importante passo foi dado por pesquisadores americanos, que publicaram seus resultados na revista “Nature Chemical Biology”. Os cientistas usaram diferentes programas de computador para testar se um grande grupo de drogas existentes poderia se ligar com os RNAs conhecidos por participarem de alguma doença, com base na estrutura dessas moléculas. Várias possíveis interações foram identificadas. Mas os computadores estão longe de serem perfeitos e representarem a realidade do que acontece dentro de uma célula (e por isso, computadores não substituem beagles!). Para tirar a prova dos nove, os cientistas saíram da frente do monitor e foram para o laboratório testar se funcionava no mundo real.

O RNA escolhido como alvo está sabidamente envolvido com alguns tipos de câncer e, então, os pesquisadores trabalharam com células de câncer de mama. Esse RNA desliga um gene importante na regulação da sobrevivência das células (ou seja, o gene controla quando a célula deve morrer). As células de câncer de mama têm uma produção alta desse RNA, logo o gene fica desligado e as células crescem sem controle, formando o tumor. Os resultados foram animadores! Quando os cientistas deram para as células de câncer o composto indicado pelos programas de computador, a quantidade do RNA diminuiu, o gene regulador passou a funcionar e as células começaram a cometer “suicídio”.

Esses resultados indicam que esse sistema de programas de computador tem potencial para acelerar as pesquisas na busca de novos medicamentos que tenham como alvos os RNAs produzidos pelas células. Como esses alvos são novos e ainda muito pouco explorados, as chances de a Ciência encontrar novas formas de combater doenças como o câncer são empolgantes.

Referência

VELAGAPUDI, S. P.; GALLO, S. M.; DISNEY, M. D. Sequence-based design of bioactive small molecules that target precursor microRNAs. Nature Chemical Biology, p. 10.1038/nchembio.1452, 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário